Poetisa & Literária: [RESENHA] Querida Sue, Jessica Brockmole

Querida Sue_15mm.inddQuerida Sue

Autora: Jessica Brockmole
Páginas: 256
Editora: Arqueiro
1ª Impressão – 2014
Tradução: Vera Ribeiro
Estrelas: ☆  ☆  ☆  ☆  ☆

Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye (…) Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor (…) Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas (…)

{Não sei se foi um erro, mas, tentei encurtar alguns trechos da sinopse pois ela é imensa. Não se preocupem porque isso não afeta a compreensão da história}

Jessica Brockmole, não sei bem o que dizer sobre você. Não sei se a culpo por ter roubado minha noite de sono, ou a agradeço por ter feito um desfecho tão surpreendente me prendendo até a última linha da última página.  Querida Sue foi mais um daqueles livros que por poucos elementos já chamaram minha atenção. É fato a minha procura de romances como ponto de partida em uma livraria, mas muitas vezes me surpreendo com histórias que levarei na mente e no coração por uma vida inteira. Com personagens capazes de te fazer, rir, chorar e suspirar, Jessica consegue criar uma história tão linda de amor que as romancistas como eu, não terão tempo de fazer coisa alguma além de amar o livro.

IMG_7647

Para continuar a acompanhar a resenha, basta clicar aqui embaixo! 😀

Uma grande surpresa minha foi me deparar com uma leitura que eu nunca havia feito. Oras, como assim? O livro é contado inteiramente por meio de cartas, apenas. Unicamente. Nem um sequer capítulo como os de outros livros. Nenhunzinho? Não. Falo isso porque eu realmente fiquei em choque quando comecei a ler. Por mais elogios que esse livro carrega, eu pensei muito em desistir antes mesmo de engatar na história. Achei que a Jessica não conseguiria transparecer os fatos corretamente, mas aí que está: é essa a maestria de tudo!

Em Querida Sue encontramos uma história emocionante sobre como o amor pode ser silencioso, paciente e inevitável. Essa definição se encaixa perfeitamente aos sentimentos dos protagonistas: Elspeth e David. Ambos se conhecem por meio de uma forma bem rara hoje em dia: cartas. David, como grande admirador de Elspeth, uma poetisa que nunca pisou em nenhum lugar a não ser a areia de sua ilha reclusa, envia-lhe uma carta homenageando-a. Elogiando suas palavras e sua obra. Elspeth fica surpresa por não imaginar que encontraria “admiradores” vindo de um lugar tão longe como Urbana, nos Estados Unidos. É a partir daí que a história consegue nos envolver por inteiro. A troca de correspondências foi a cartada definitiva que o livro nos deu para conhecer a fundo os sentimentos e a essência de cada personagem. Com a troca de segredos, de emoções, de ânsias, medos e desejos, David e Elspeth se aproximam muito mais do que esperavam. Nesta época mergulhamos na intensidade da Primeira Guerra Mundial, em todo seu sofrimento e amores roubados.

Querida Sue é um livro que com todo seu encanto, nos mostra diversos pontos de vista. Dividido em duas partes, épocas e contextos, também conhecemos Margaret, filha de Elspeth. Por volta de 1940, em uma de suas primeiras cartas apresentadas no livro, ela surpreende a mãe confessando-lhe estar apaixonada por um piloto da Força Aérea. Elspeth que já conhece os temores da guerra e como um coração pode ficar mais frágil nestes tempos, alerta sua filha. É depois desta noite que a história de Margaret é desenvolvida. Elspeth vai embora. Parte, apenas deixando para trás uma carta datada de 1915 em que Margaret vê a carta de um americano “Davey” para Sue, pessoas que ela desconhece. Durante todo o livro a filha da poetisa, também aspirante, vai em busca da mãe. É fascinante acompanhar como tudo chegou àquele fato por meio de Davey (David) e Sue (Elspeth) e como tudo irá finalmente terminar, por meio da troca de correspondências de Margaret e Paul, o seu amor. Por causa da distâncias de época, por um mínimo descuido podemos não acompanhar os fatos e isso gera certa confusão. Basta algumas folheadas em páginas anteriores e nos encontramos na história, isto não é um impecilho. Em algumas das resenhas que vi, blogueiras comentaram que a forma de escrita se tornou uma dificuldade para o término da leitura e lhes digo uma coisa: que escrita esperavam vindo de uma época bem diferente da nossa? Na minha opinião isso torna o romance mais clássico e único.

IMG_7663

 

Outro ponto que eu não poderia jamais deixar de citar é em como a Arqueiro trabalhou bem no livro. A capa está belíssima e cada mínimo detalhe compreende para uma beleza adicional à história. Eu realmente me encantei, e recomendo com todas as forças esta leitura fascinante e que com certeza a fará chorar.

Já leram algum romance escrito em cartas? O que pensam sobre eles?

Contem pra mim aqui embaixo!

Anúncios

13 comentários sobre “Poetisa & Literária: [RESENHA] Querida Sue, Jessica Brockmole

  1. Eu já estava acostumada com essa escrita quando li “Querida Sue”. Mas me surpreendo toda vez que paro para avaliar a obra, é belíssima! E eu chorei o dia todo quando terminei de ler, pois é terminei de manhã. Eu adoro livros escritos só em cartas, me sinto vendo de fato a história de amor acontecer sabe? Desenrolar bem diante de mim. É como se eu pudesse viver com realidade o que leio, como se as cartas fossem para mim.E eu sou fanática pela segunda guerra mundial, então era leitura obrigatória! rsrs. Eu amo esse livro, e fiquei super feliz que tenha gostado também!Sua resenha ficou super sincera e maravilhosa! Bjokas linda ❤

    Curtir

    • Olá, flor! 😀
      Eu também estava tranquila com o modo de escrita, isso geralmente não é um empecilho pra mim. Querida Sue certamente é um livro pra carregar sempre no coração. Então quer dizer que você o leu em um dia?! Uau! Confesso que não estava tão acostumada com as cartas, mas ao longo da narrativa a autora nos deixa muito íntima à ela. Essa forma de entrar mais a fundo na história por meio da troca de correspondências é simplesmente incrível! Nos sentimos ainda mais próximos de tudo e todos.
      Eu amei-o. É quasse impossível não se apaixonar pela autora. Parece-me ser um doce. E , muito obrigada, Anya! Fico feliz por ter gostado.
      Um beijo grande!
      Paula

      Curtir

  2. Oiii Paula, tudo bem linda?
    E eu não sei se culpo você ou agradeço por ter me feito adicionar mais um livro para minha enoorme lista, kkkk.
    Ainda não conhecia o livro mas sua resenha fez com que eu me apaixonasse logo de cara pela história. Eu não gosto de romance mas eu não sei ficar sem ler romance, haha, e acho que esse livro deve ser um lindo romance, através de cartas, acredito que deixa a leitura mais agradável e um pouco mais íntima. Eu não tenho problema com esse tipo de escrita, e concordo co você, torna os livros mais clássicos <3. Obrigada por me apresentar mais um livro que aparentemente parece ser encantador.

    Beijos da Jéss ♥.
    http://brilliantdiamond-bg.blogspot.com/

    Curtir

    • Jéss, lindona! Estou ótima e você? ❤
      HAHAHAHA, espero que esse adicional não lhe faça botar a culpa em mim. ;p
      Fico muitíssimo feliz por ter se interessado pelo livro por meio da minha resenha, é para isso que estou aqui! ❤ Você é um doce.
      Também não consigo ficar sem romances, e esse é um livro realmente essencial. Volta ou outra encontro histórias que me prendem por inteira, sabe Jéss? Isso aconteceu durante toda a narrativa de Querida Sue. A troca de cartas sem sombras de dúvidas nos deixa mais a par das coisas, é fascinante.
      Um beijo enorme lindona! Ótima semana pra ti.
      Paula

      Curtir

  3. Oláaa Paulaa ❤ Tudo bem??
    Eu li um livro que era escrito apenas por cartas, que foi "Cartas de Amor aos Mortos", adorei a leitura.
    Como sempre, mais um livro é adicionado na minha enorme lista. Sinceramente eu não sei o que devo fazer, são tantos que fico até perdida hahaha
    Esse livro deve ser muito bom mesmo pelo que você disse, espero poder comprar logo e gostar da leitura!
    Beijoss

    http://our-constellations.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

    • Ana, meu bem! Eu estou ótima, e você? {FELIZ NATAAAAAAAAAAAAAAL! Resposta mais atrasada impossível, mas valeu né? ❤ Esse período é uma loucura!}
      Já ouvi falarem muito e bem sobre Cartas de Amor aos Mortos, mas confesso que não tive muita curiosidade na sinopse. Que bom que você gostou!
      Sei como é essa Lista de Desejos Literários! A minha mesmo só faz aumentar, matar desejo que é bom, nada! HAHAHA
      Querida Sue é uma leitura impressionante, e eu recomendo muito para você que já teve certo contato com cartas na narrativa. É puro encanto.
      Um beijo enooooooooooooooooooooooooooooooorme!
      Paula

      Curtir

    • Priih! Você por aqui! ❤ {FELIZ NATAAAAAAAAAAAAAAL! Mil desculpas pelo atraso na resposta, mas esse período é muito corrido para mim}
      Fico super feliz que você tenha se admirado pela resenha e ainda mais pela maestria da Jessica Brockmole em Querida Sue. Ela é fantástica e eu tenho certeza como 2+2 é 4 que essa leitura ainda vai fazer parte do coração de muita gente! Assim como será do seu.
      Nunca li @mor, mas agora que você o citou, gostei de recordar. Irei dar algumas conferidas a mais nele, e verei se será uma das minhas próximas leituras. *-*
      Um beijo grande minha flor!
      Paula

      Curtir

  4. Oi, Paula!
    Acho incrível que, toda vez que venho ao seu blog, acabo marcando outro livro como “quero ler” no Skoob *o* Já tinha me deparado com este livro antes, mas nunca havia lido uma resenha dele, e agora estou mais curiosa ainda. Já li um livro em formato de cartas, o “As Vantagens de Ser Invisível”, e no começo também estranhei um pouco. Mas, como já mencionei uma vez ou outra, acabo tendo uma queda por livros que alternam um pouco a forma de narrativa, não seguindo uma linha tão linear – como inserindo flashbacks, alternando personagens, etc. Por isso, acho que acabaria me apaixonando pela história relatada através de cartas também, mesmo porque tenho um estranho fascínio por esta questão de trocar cartas (É MUITO AMOR! ❤ ). O livro parece ser realmente muito interessante e um romance mais sólido, acho que seria bom sair um pouco dos romances teen, hehe. E vi que o livro está com uma nota muito boa no Skoob, 4,5, o que me deixa mais intrigada ainda. Agora é só sair do meu "castigo" sem comprar novos livros para poder me aventurar pela história também :3
    Beijos e ótima semana ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • LIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! NATAL! FELIZ! Opa. Feliz Natal. Não sei porque sempre que vou te responder aqui no blog ou mesmo comentar no “Confissões”, me bate aquele ânimo, sabe? Hahaha.
      Pois saiba que meu trabalho aqui é mesmo te fazer lotar a Wishlist Literária! Espero que tenha te dado um bom começo de compra pra 2015 ❤ Mas gente, eu disse que não tinha lido nenhum livro em cartas, não foi? Engano meu, fui meio descuidada. Também já li As Vantagens de Ser Invisível ( ele me trouxe várias reflexões, aliás ). Narrativas que buscam de todas as formas não deixar o leitor naquela "mesmice" me encanta muito. Nos prende, nos surpreende e nos deixa ainda mais apegado à toda obra. TENHO ABSOLUTA CERTEZA QUE VOCÊ VAI SE ENCANTAR PELA SUE E MEU DAVEY! Eles são maravilhosos, Liah. De verdade. Vale dar uma chance. Uma super chance! ❤
      Um beijo enorme lindona!
      Paula

      Curtir

  5. Pingback: Poetisa & Literária: [TAG] Natal em Livros! | Paula Mirella, Poetisa & Literária

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s